Observação de Aves – Birdwatching

Escrito assim, parece que observar aves é uma coisa muito importante ou complicada - tem até nome em inglês! Na verdade, não passa de “olhar passarinho”, e cá para nós, passarinho é uma das coisas mais interessantes da gente olhar.

Possuem uma variedade de formas, cores, cantos e comportamentos que invariavelmente prendem nossa atenção. Podem ser grandes ou pequenos, coloridos ou desbotados, barulhentos ou silenciosos, irrequietos ou calmos, podem andar, pular ou voar, têm bicos chatos ou finos, grandes ou pequenos, retos ou tortos, pés de pato, pés de galinha, garras de gavião, e por aí vai. São tão variados que a gente não se cansa nunca de observá-los e se divertir com eles.

A observação de aves pode ser feita em qualquer lugar. No quintal de casa, na rua onde moramos, na praça perto do trabalho, nos parques, praticamente em qualquer local existem uma quantidade enorme de aves e uma variedade de espécies surpreendente esperando a nossa atenção. O Município de Belo Horizonte, por exemplo, quase totalmente ocupado por prédios, casas e indústrias, apresenta uma lista com aproximadamente 350 espécies diferentes. Podemos ver, em pleno centro da cidade, a misteriosa alma-de-gato na Savassi, o colorido fim-fim na Afonso Pena, e até mesmo a majestosa águia-chilena caçando pombos entre os altos prédios ali na Rua da Bahia.

A observação de aves dispensa equipamentos: bastam nossos olhos e ouvidos. Todo o resto que vemos em manuais e guias não passa de acessórios. E como tem acessórios! Desde os os mais simples como guias de campo, caderneta de anotações, roupas camufladas; até os mais sofisticados como binóculos, câmeras fotográficas, tripés, lentes poderosas, iPods, caixas de som... a lista é interminável. No final das contas, isso tudo é dispensável, embora nos ajude a melhor enxergar, ouvir e registrar as aves. Ver um passarinho pequeno e arisco através de um binóculo é muito bom. Poder fazer uma fotografia dele com uma lente zoom de 30X é ótimo. Mas, mesmo de longe, sem essas confusões, dá para vermos como ele voa, onde pousa, o que come, como canta e isso já é o bastante.

Embora a maioria dos integrantes da Ecoavis tenha um ou mais acessórios desses, a gente entende a observação de aves como uma atividade simples, prazerosa e extremamente gratificante, especialmente quando praticada na companhia de amigos. Por isso, estamos sempre abertos a acolher novos participantes com ou sem experiência nessa maravilhosa aventura.

Porque é uma aventura! A cada nova saída nos deparamos com descobertas surpreendentes: uma saíra-andorinha tomando banho num chafariz, um cháu-baeta namorando no parque, um soldadinho exibindo seu brilhante capacete de penas vermelhas em um raio de sol, um casal de maracanãs voando sincronizadas à luz suave do poente.

O Brasil é um país privilegiado. Com mais de 1.800 espécies ocupa a 2ª posição na lista dos países com maior número de aves. Este número tende a crescer muito pois, com os avanços dos estudos filogenéticos, a todo momento se elevam subespécies ao status de espécies. O aumento de estudiosos das aves também acrescenta anualmente novas espécies descobertas, especialmente na floresta amazônica, local ainda muito pouco conhecido. Com certeza, no prazo de 5 a 10 anos, o Brasil será reconhecido como o país com maior número de espécies aladas. O Estado de Minas Gerais, sozinho, tem registradas em torno de 770 espécies, enquanto todo o continente europeu apresenta aproximadamente 860.

Como podemos ver, as oportunidades para nos divertirmos com a observação de aves são infindáveis.

Convidamos a todos para se juntar a nós nessa extraordinária experiência!

Ecoavis Todos os direitos reservados à Ecoavis.
contato@ecoavis.org.br - Belo Horizonte - MG - Brasil